domingo, 15 de outubro de 2017

TAURAS DA RAÇA JERSEY XXVIII - MARCELO XAVIER

MARCELO DE PAULA XAVIER


Conheci o Marcelo em julho de 2012, durante um workshop promovido pela ACGJB no qual o tema principal versava sobre “controle leiteiro e teste de progênie da raça Jersey no Brasil”.


Sabedor da possibilidade dele concorrer encabeçando uma chapa para a direção de nossa entidade-mater, procurei conhecer um pouco suas intenções se eleito fosse.


Não negou sua candidatura, tampouco confirmou-a, mas disse que estava consciente da necessidade de melhorias administrativas e de ação na brasileira, e estaria disposto a encarar o desafio se assim fosse a vontade dos associados.


No Rio Grande do Sul discutimos muito essa possibilidade, muitos achando-o muito jovem e novo na raça Jersey para assumir tal responsabilidade, mas ninguém foi contra. E não deu outra: candidatou-se e, em chapa única, foi eleito.


Com muita cautela, mas decidido, no início tratou de tomar pé da situação e, auxiliado por alguns associados (amigos e técnicos), iniciou o trabalho que possibilitou a atualização dessa antiga entidade, culminando com a troca de toda sua já antiga equipe de trabalho.


Marcelo soube, com muita habilidade e firmeza administrativa, mudar os rumos da ACGJB numa má fase, progressiva, que a raça Jersey atravessava no Brasil. Com apoio das delegadas do sul (RS, SC e PR), e de diversos criadores de MG e SP, conseguiu evitar o encerramento que se aproximava.


Reeleito para mais um mandato, grande e competente criador que é, no início de 2018 passará a “faixa” para o próximo presidente.


Numa entrevista demorada, em vários momentos ao vivo, por e.mail ou celular, tenho o prazer de trazer a público um pouco sobre esse TAURA DA RAÇA JERSEY, com sua seguinte declaração inicial:


 “Eu faço parte da terceira geração de uma família de produtores rurais, com bastante tradição na produção de gado de corte e na agricultura.”

MARCELO DE PAULA XAVIER, este disposto jovem-presidente da ACGJB, eleito e empossado aos 40 anos de idade, já no final de sua segunda e vitoriosa gestão à frente da ACGJB, até o início dos anos 2000 não tinha no leite parte de seus planos de ação. 

Embora já fosse um sonho de seu pai – José Olímpio de Paula Xavier – no início de 2003 adquirindo algumas Jerseys de altíssimo potencial genético de renomados criatórios brasileiros, em especial da Fazenda Nogueira Montanhês, logo depois de uma doença grave precisando se afastar da fazenda, Marcelo não pensara em partir para a criação de Jersey.


“Naquela época, eu tinha pouca atração pela atividade leiteira e, apesar de sempre ter me envolvido com a criação de gado, era pouca minha experiência com a produção de leite. Na verdade, possuia até um certo preconceito contra a atividade, pois achava-a um trabalho exaustivo e pouco lucrativo. Não obstante, com a doença de meu pai, resolvi ajudá-lo a cuidar daqueles animais, que já eram sua paixão. Infelizmente, pouco depois ele veio a falecer, disse Marcelo.”

Para realizar o sonho do pai, Marcelo resolveu se dedicar à produção de leite e à criação de animais Jersey de alto padrão, seu primeiro passo sendo a participação num curso sobre a produção leiteira, o que lhe ajudou bastante a entender melhor a atividade. Outro passo fundamental foi procurar assistência técnica de qualidade, com pessoas competentes para lhe assessorarem na fazenda. Com isto e com o seu envolvimento diário no empreendimento, a atividade tornou-se eficiente e sustentável, Marcelo observando:


“Com o passar do tempo, o sonho do meu pai passou a ser também o meu, e a dedicação à produção de leite passou a ser quase total no rebanho Jersey que leva o afixo JOPX (iniciais do nome de meu pai). Quanto mais eu conhecia o Gado Jersey, mais eu gostava e me envolvia na atividade.”

Com a excelente qualidade dos seus animais, não demorou muito tempo para começar a participar de exposições, tanto no Paraná como noutros estados, passando a interagir bastante com grandes jersistas. Em 2007 foi convidado pelo Nelci Mainardes para ser seu vice-presidente na ACGJPR:


“No final daquela gestão, em 2010, eu fui eleito como presidente da ACGJPR e, junto com alguns amigos e criadores paranaenses, fiz um projeto de desenvolvimento para a Jersey no Paraná. Conseguimos realizar um belo trabalho à frente dessa filiada.

“Ao terminar essa gestão como Presidente da Jersey PR, fui convidado para liderar uma frente de coalizão para a entidade nacional, bastante dividida por brigas políticas do pleito anterior. Em um primeiro momento, declinei do convite, por entender que o trabalho no Paraná devia continuar. Mas, com o apoio e incentivo de jersistas comprometidos de várias partes do Brasil, resolvi aceitar o desafio e, em eleição de chapa única, fui eleito, assumindo a presidência da ACGJB no ano de 2013. Fizemos, então, um trabalho de reestruturação total da associação, visando a melhoria no atendimento aos associados, a ampliação dos serviços prestados pela associação e o aumento da visibilidade da Raça Jersey no Brasil.”

Sobre sua participação em exposições, Marcelo explica:

“Sempre gostei de participar de exposições. Durante estes últimos anos, estive presente nas principais exposições de Jersey do Brasil e do mundo. Muitas vezes como expositor, outras tantas vezes como visitante.

“Como expositor, conquistei inúmeros campeonatos importantes na Raça Jersey, incluindo todos os principais títulos da Agroleite (que é uma das melhores exposições de gado de leite do Brasil): Grande Campeã, Melhor Úbere da Exposição, Grande Campeã Vaca Jovem, Melhor Úbere Jovem da Exposição, Grande Campeã Fêmea Jovem, Reservada Grande Campeã Fêmea Jovem e Grande Campeão Macho.


“Tive, também, a honra de conquistar três Campeonatos Nacionais: Campeã Fêmea Júnior, Campeã Vaca Jovem, e Grande Campeão. Além disto, nossa fazenda tem o Tri Campeonato Supremo, consecutivos, da Olimpíada do Leite, em Umuarama – PR, e o Penta Grande Campeonato seguido na Expoingá, em Maringá – PR.



“Participei, ainda, de vários torneios leiteiros, colecionando outros tantos prêmios.”

Casado em 2004 com Gisela Adriana Siqueira de Quadros, tem um casal de filhos, Gabriela (12) e Bruno (11), que gostam muito da fazenda mas, ainda muito novos, "não há como saber se tocarão o negócio no futuro", diz Marcelo, justificando:


“O leite é uma atividade extremamente prazerosa para quem gosta, e pode ser muito lucrativa também. Gostaria muito que meus filhos dessem sequência no trabalho, mas procuro não forçar. Só o tempo dirá!”


MARCELO DE PAULA XAVIER nasceu em Ponta Grossa (PR) em abril de 1973. Cursou Administração de Empresas na UEPG (Universidade Estadual de Ponta Grossa), formando-se em 1994. Após sua graduação, mudou-se para os Estados Unidos, onde fez um curso de pós-graduação em Business Administration pela University of California – Berkeley. Foi professor de Administração Financeira e Mercado de Capitais, entre os anos 2000 e 2001, nas seguintes universidades: UNIPAR (em Guaíra – PR) e UNIVEL (em Cascavel – PR). No ano de 2002, ingressou no Mestrado em Agronegócios na UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul), vindo a defender sua Dissertação em 2004. É autor de diversos artigos acadêmicos sobre Agronegócios e Administração de Empresas, atuando como editor das revistas: “A Vaca Jersey” e “Jersey Paraná”. Representa a terceira geração de produtores rurais de sua família, trabalhando durante boa parte de sua vida com pecuária e agricultura.

No ano de 2003, iniciou sua atividade com Gado de Leite, sempre ligado à Raça Jersey, e está à frente de um dos principais criatórios do Brasil: Jersey JOPX. Teve duas gestões como presidente da SRL - Sociedade Rural de Loanda, onde atuou ativamente para o desenvolvimento do agronegócio no Noroeste do Paraná. Foi presidente da ACGJPR (Associação dos Criadores da Raça Jersey do Paraná), entre 2010 e 2013. Neste mesmo ano, 2013, assumiu a presidência da ACGJB (Associação dos Criadores da Raça Jersey do Brasil) e está em seu segundo mandato à frente desta importante entidade.


Marcelo Xavier, além de ser um dos melhoristas da raça Jersey em ascenção no Brasil, executa um importante trabalho de fomento, principalmente com seus “dias de campo” anuais, neste ano o nono, nos quais trabalhos técnicos atualizados são apresentados, ligados à pecuária leiteira, por profissionais importantes em cada assunto, permitindo aos participantes conhecerem seu eficiente e moderno criatório.


Na liderança do Jersey nacional, vem executando um exemplar, e necessário, trabalho na reorganização e modernização da ACGJB.

Viaja, com freqüência, à América do Norte, mantendo contato com os dirigentes das associações de criadores de gado Jersey, e seus associados, não deixando de relatar aos interessados pela Jersey no Brasil tudo o que vê e aprende por lá.


Quem quiser conhecer melhor e acompanhar as atividades da Fazenda Ipiranga pode visitar o site www.fazendaipiranga.com.br ou curtir a sua página no Facebook (Fazenda Ipiranga – Jersey JOPX).


2 comentários: